*Luciana Genro

Maduro está expressando a desfiguração e até a degeneração do processo revolucionário venezuelano. Assim são as revoluções: ou seguem ou congelamSob. O congelamento é sua morte. O congelamento foi a marca de Maduro. Mesmo com críticas, apoiei o processo revolucionário, do qual o povo foi o principal protagonista, e que conquistou uma das Constituições mais democráticas da América Latina. Com a morte de Chávez e a eleição de Maduro, os traços autoritários de um governo com excessivo peso das Forças Armadas se aprofundaram.

O que ocorreu agora foi um autogolpe, culminando o caminho autoritário traçado por Maduro. O que temos na Venezuela é um Estado divorciado do povo que fez a revolução e uma burocracia rentista e militarizada. Está mais do que na hora de chamar o povo a decidir o futuro do país e relançar o processo de transformação social.

*Fundadora e dirigente nacional do PSOL