por Juntos! (Brasil)

Hoje completam-se 35 dias em que professores e professoras de Cusco estão nas ruas exigindo melhores condições de trabalho e salário. Mais de um mês em que os trabalhadores se colocam diariamente nas ruas para exigir dignas condições de trabalho e por uma educação de qualidade para todo o povo.

A luta dos professores e professoras de Cusco convoca diferentes setores da sociedade a marchar em defesa da educação, da construção civil aos pais de estudantes, dos universitários aos secundaristas, reverberando uma importante unidade contra as mentiras e falsas promessas do governo de Pedro Kuczynski.

Em resposta à mobilização, o governo peruano (que completa um ano dia 28 de julho), decretou “estado de emergência”, fechando o diálogo com a demanda dos professores e colocando a força repressiva à disposição do Estado.

No Brasil, nos somamos à solidariedade com o magistério de Cusco, numa luta que já se espalha por todo país (das 24 regiões que possui o Peru, 17 já somaram-se às manifestações). Exigimos salários dignos aos professores e professoras. Ao invés de flertar com o fujimorismo, como noticia a imprensa internacional, o governo deveria sentar e negociar com os professores.

Os jovens trabalhadores peruanos que no início de 2015 derrotaram a Lei Pulpin que retirava seus direitos. Já demonstram que é possível lutar e vencer. Estamos Juntos com a educação peruana!

Por salários dignos e educação de qualidade! #SolidariedadConElMagisterio