PORTAL DE LA IZQUIERDA – SETEMBRO DE 2017

QUE VIVA O ‘SIM’ PARA QUE NASÇA A REPÚBLICA CATALÃ!

Este é um boletim de apoio à rebelião catalã e a seus grandes atores envolvidos; o povo catalão, seus operários e sua juventude, os partidos de esquerda, o governo catalão e especialmente às organizações-irmãs trotskistas de“La Aurora” e “Revolta Global”, (Miguel Salas [1], Alfons Bech,[2] Jaime Pastor[3], Joseph Atentas[4]) de quem publicamos seus textos. Como disse o  camarada Alfons Bech, estamos todos envolvidos numa “guerra entre a democracia que defende o povo catalão com seu direito de decidir e o totalitarismo do Estado espanhol que se nega a reconhecê-lo e lança todas as suas hostes”.   Esta “guerra” entre a rebelião ou a revolução democrática de um lado, e a reação ou contrarrevolução do autoritarismo monárquico do outro está em curso e no domingo do plebiscito se joga uma batalha muito importante. O resultado será fundamental, porém a guerra não terminará aí.   

O governo do regime monárquico espanholista joga todas as suas cartas. Censura sites da Generalitat; manda a Guarda Civil bloquear os colégios onde se realizarão a votação; faz uma campanha midiática cheia de mentiras como os fascistas faziam; encarcera autoridades e agora prepara para prender líderes da Generalitat, do Parlamento e dos partidos independentistas; incentiva os falangistas e franquistas se mobilizarem pela Espanha com o grito ‘a por ellos’; contam para isso com os aliados do PSOE e dos semifascistas de Ciudadanos que apoiam incondicionalmente o governo de Rajoy e o PP.

Os catalães não se assustam. A resposta ao autoritarismo tem sido a rebelião, a insurreição pacífica. Como está descrito nos textos, a mobilização popular se expressa de múltiplas formas. O povo responde com força, as autoridades da Generalitat chamam os catalães a se mobilizarem em atos multitudinário pelo SIM; cheios de iniciativa, professores e pais ocupam os colégios onde ocorrerão as votações; os sites censurados são imediatamente divulgados pela Generalitat, contando com o apoio de Julian Assange; os bombeiros ofereceram-se para proteger os atos. 

Escrevemos de ‘fora’ mas com a cabeça e nossos sentimentos ‘dentro’, apoiando no que está a nosso alcance aos irmãos anticapitalistas e revolucionários que estão ali e que jogam um papel importante neste processo. Todos, seja ‘fora’ ou ‘dentro’, estamos aprendendo. Seguramente durante a mesma encontraremos pontos de convergência mais profundos para nos aproximarmos e fortalecermos nossas fileiras. Com ampla unidade de ação e também com firmeza para assinalar as debilidades e erros como o faz Josep Antentas quando critica Podemos e Catalunya en Comú porque frente às medidas repressivas apoia a mobilização legítima mas não reconhece o referendo porque este não tem as garantias formais, sendo portanto ilegal. Não fez sentido algum empacar-se num debate apriorístico sobre se 1-O carece ou não de garantias. (…) A questão decisiva é compreender, como desgraçadamente não fizeram Catalunya en Comú e Podemos, a necessidade de ir até o final…”. Compartilhamos também a posição de Jaime Pastor quando diz que ‘um passo adiante na desobediência social e institucional ao Estado Espanhol desde a Catalunha abriria a porta para uma impugnação não só deste governo (espanhol) mas também do regime”.  

A República Catalã não é somente a causa de seu povo, não só dos habitantes do Estado Espanhol, mas de todos os democratas autênticos e dos revolucionários internacionalistas. Como diz Alfons Bech “estamos vivendo a história de maneira viva. Estamos assistindo a uma mudança que afetará não apenas a Catalunha, mas a Espanha e toda a Europa. Ganhe ou perca, a luta dos catalães em seu direito de ser um Estado independente já traçou um caminho. Este caminho é o de uma revolução democrática. É algo novo na Europa”. E nós agregamos: será um fato de grande repercussão mundial.  la historia de maneira viva.

Como diz Miguel Salas, “estamos e somos parte de um movimento democrático, muito, mas muito massivo, muito popular e interclassista, com uma posição de esquerda e democrática forte”. “esperamos o máximo de solidariedade de outros povos com essa luta”.

Apresentamos este boletim como uma forma a mais de contribuir e apoiar este processo.

Equipe de Redação (Brasil) do Portal de La Izquerda 


[1]Dirigente de CCOO, do Conselho Editorial de Sin Permiso, da antiga organização trotskista POR, e de “La Aurora”. Com os companheiros do POR fundamos a UIT e entre outras campanhas internacionais fizemos os comboios de Ajuda Operária para a Bósnia organizados desde Barcelona por Diego Arcos, fundador do “Casal Argenti” em Barcelona.

[2]Alfons Bech foi um operário da SEAT durante a Resistência ao franquismo e posteriormente ferroviário de RENFE, membro do ex-POR com quem compartilhamos em 1995 a fundação da UIT. Faz parte agora da organização marxista “La Aurora” com quem seguimos sendo irmãos de luta.

[3]Diretor de Viento Sur, militante de Anticapitalistas, e dirigente da antiga LCR seção da IV Internacional SU.

[4]Dirigente de Revolta Global e da IV Internacional (SU). 


Povo catalão versus monarquia espanhola: Uma revolução democrática comove o mundo 

Por Pedro Fuentes e Charles Rosa (MES-PSOL)

 

Miguel Salas (La Aurora): “esperamos o máximo de solidariedade dos outros povos”

Entrevista realizada por Pedro Fuentes e Israel Dutra (MES-PSOL)

 

O povo da Catalunha tem o direito de decidir seu destino

Por MAREA SOCIALISTA (Venezuela)

 

Catalunha: uma revolução democrática em marcha

Por Alejandro Bodart (MST en Izquierda al Frente – Argentina)

O Estado Penal frente ao 1-O, as liberdades e a democracia

Por Jaime Pastor (Anticapitalistas e Viento Sur)

Dias decisivos

Por Josep Antentas