Iniciativa a favor do referendo na Catalunha impulsionada por:

Xosé Manuel Beiras, dirigente político galego

Martiño Noriega, prefeito de Santiago

Miguel Anxo Fernán-Vello, deputado em Lugo por Lugo

A situação na Catalunha nos interessa e nos afeta a todas e a todos. Para o próximo 1 de outubro está anunciado um referendo na Catalunha para exercer um direito legítimo, um direito reconhecido pelas Nações Unidas, que se aceita para muitos povos do mundo e que, entretanto, nega-se ao povo catalão e aos povos submetidos ao Estado espanhol.

Por sua tradição histórica, sua mobilização e suas reivindicações, o povo catalão demonstrou que é uma nação e, portanto, tem o direito de decidir livre e democraticamente seu futuro e sua relação com os povos que hoje conformam o Estado Espanhol.

A exigência do direito a decidir não vai contra ninguém. Não é contra as classes trabalhadoras ou territórios que fazem parte do Reino da Espanha. É uma senha democrática o respeito e a solidariedade entre os povos. Colocoar alguns povos contra outros é a mais não-solidária das políticas.

As liberdades se conquistam e são mantidas exercendo-as. O direito de greve foi conquistado fazendo greve. O sufrágio universal foi uma conquista democrática que supôs muitas lutas e enfrentamentos com a legalidade de então. Os atuais poderes mudam a legalidade e a Constituição quando lhes interesssa. Defendemos que o povo catalão possa fazer efetivo seu direito de autodeterminação.

Não temos nenhuma dúvida de que essa maioria que quer decidir preferiria fazê-lo de uma maneira legal e acordada com o governo espanhol, mas este negou categoricamente. Dialogar e dar a voz aos cidadãos é melhor maneira de resolver um problema político.

Existem em nosso pais sintomas alarmantes de degradação democrática, cada vez há menos mecanismos de controle democrático do poder; as elites enriquecem-se à custa do empobrecimento da maioria da população; a corrupção chegou a níveis insuportáveis; legisla-se cortando direitos e agora quer-se impedir o direito de um povo de decidir sobre sua soberania.

Desejamos a igualdade de todas as nações e povos e que ninguém possa ter privilégios por cima dos outros; por isso mesmo defendemos o direito do povo catalão a votar no referendo. A solidariedade e a fraternidade são conseguidas tratando-se como iguais, ajudando-se reciprocamente quando é necessário.

O movimento soberanista e independentista catalão é um movimento pacífico, democrático e republicano com amplo apoio popular, que nasce da população mais afetada pela crise. Por isso, é um aliado de todos os povos da Espanha e dos que lutam para mudar as políticas do PP e do governo Rajoy.

Nos opomos e nos oporemos a qualquer tipo de repressão judicial ou policial que possa exercer o governo espanhol contra os que exerçam seus direitos democráticos e contra as/os representantes e instituições legitimamente eleitas pelo povo catalão.

Os que assinamos este manifesto, para além da opção política de cada um, nos sentimos comprometidos com o direito de decidir do povo catalão, defendemos a convocatória do 1 de outubro e apoiamos a existência do máximo de mobilização e participação no referendo para que seja conhecida e respeitada a vontade majoritária.

 

Primeiras assinaturas do Brasil

Luciana Genro, ex-deputada-federal e candidata a presidência pelo PSOL em 2014
Deputado Estadual Pedro Ruas (PSOL- Rio Grande do Sul)
Vereadores de Porto Alegre, Roberto Robaina, Fernanda Melchiona, Alex Fraga (PSOL)
Deputado Estadual de Rio de Janeiro, Eliomar Coelho (PSOL)
Vereador de Rio de Janeiro, David Miranda (PSOL)
Veradora de São Paulo, Sâmia Bomfim