DECLARAÇÃO DA COMISSÃO INTERNACIONAL DO MOVIMENTO ESQUERDA SOCIALISTA (MES-PSOL)

O povo catalão está nas ruas enfrentando a ingerência e a repressão golpista do governo espanhol. Seu maior desejo é decidir se se torna uma República independente ou não. Outra vez, a Catalunha está dando um exemplo ao mundo. Há alguns meses, foi em Barcelona que se realizou a maior mobilização pela acolhida de imigrantes. Foi também em Barcelona, após um covarde atentado do ISIS, que dezenas de milhares saíram às ruas em repúdio ao terrorismo, condenando ao rei e ao presidente Rajoy pelo envio de armas às ditaduras do Oriente Médio.

Depois de sufocar financeiramente o referendo catalão, na manhã desta quarta-feira (20 de setembro), Rajoy decidiu reprimir o independentismo catalão. Cercaram a Generalitat com forças repressoras e prenderam ao menos 14 autoridades do governo local. O sistema de informática dos órgãos administrativos da Catalunha foi cortado, sedes de partidos independentistas e de sindicatos foram assediadas, manifestações foram bloqueadas. Mesmo assim, o povo catalão não esmoreceu e continua nas ruas, com bandeiras estreladas e gritos de ‘Votaremos!”, defendendo o seu direito de decidir.

As próximas jornadas serão decisivas. Uma mobilização popular democrática está em curso e isso merece o apoio de todos os povos do mundo. Na Catalunha se joga a vontade democrática de um povo que quer ser independente. Esta luta interessa a todos os povos e trabalhadores do mundo. Se eles conseguem seus objetivos será também um triunfo das lutas democráticas contra o avanço repressivo das direitas e dos governos autoritários em todo o mundo.

Será um golpe para Trump que retira os direitos dos imigrantes, planeja construir um muro na fronteira com o México, trabalha para acabar com a seguridade social nos EUA e está lançando ameaças à Coreia, colocando em perigo toda a humanidade. Também será um golpe contra os golpistas e corruptos que (des) governam o Brasil e aprofundam reformas reacionárias contra as conquistas históricas e democráticas do povo brasileiro. Da mesma forma, será um golpe ao Bolsonaro e aos setores direitistas do Exército que começam a falar em ‘solução militar’, caso a crise das castas políticas não se estanque. Para o Peru, uma vitória da autonomia catalã significará, ademais, uma grande derrota tanto para Fujimori como para Kuzcinsky, que possuem aversão a qualquer expressão de poder das ruas. Se os catalães impuserem sua legítima vontade, também será um alento para os setores venezuelanos que defendem o resgate do autêntico protagonismo do povo bolivariano, em contraposição ao autoritarismo de Maduro e do elitismo da MUD. Além disso, se os catalães conseguem reverter o golpe da direita espanhola, mais força terá o povo argentino contra o governo de Macri e contra a repressão aos mapuches, na luta pela aparição com vida do jovem Santiago Maldonado.

É por tudo isso que nos juntamos ativamente à solidariedade internacional à Catalunha e convocamos todas as organizações combativas e democráticas da América Latina a fazer o mesmo! Desde o Brasil, o PSOL está na linha de frente de protestos e mobilizações nos consulados do Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Nossos parlamentares divulgam notas de apoio ao povo catalão e debatem iniciativas contra a repressão do governo espanhol.

Vamos mostrar a Rajoy, que acaba de dizer que o referendo não tem nenhum ‘apoio internacional’, o quanto ele está enganado! A Catalunha tem o direito de decidir e não é nenhum governo corrupto e desmoralizado que vai impedi-la de ser dona do seu próprio destino!

NÃO AO GOLPE DE RAJOY E DA MONARQUIA!
TODO APOIO AO DIREITO DE DECIDIR E À REPÚBLICA CATALÃ!