Portal da Esquerda em Movimento Portal da Esquerda em Movimento Portal da Esquerda em Movimento

Boletim do Portal da Esquerda em Movimento [14/09]

BOLETIM DO PORTAL DA ESQUERDA EM MOVIMENTO [14/09]

Nesta edição do Boletim do Portal da Esquerda em Movimento, o destaque fica por conta da caravana de jovens nicaraguenses que percorrem a América do Sul para denunciar os malfeitos e o autoritarismo do regime Ortega. Israel Dutra, secretário de Relações Internacionais do PSOL, nos relata a solidariedade e as tarefas dos internacionalistas diante da crise sociopolítica pela qual passa nossos irmãos centro-americanos. Trazemos neste dossiê as transcrições das falas de Ariana McGuire (jovem ativista universitária da Nicarágua) e Carolina Hernandez (ativista ambiental) em evento com nossos companheiros no Rio de Janeiro. Além disso, recuperamos uma entrevista da líder revolucionária sandinista Dora Maria Tellez à Revista Época do começo deste mês, na qual ela desmascara as mentiras disseminadas pelo orteguismo contra os lutadores sociais nicaraguenses.

Outro destaque deste boletim foi a recente vitória de Julia Salazar, apoiada pelo DSA, na disputa por uma vaga no Senado pelo estado de Nova York. Enfrentando uma campanha de calúnias orquestrada pela grande mídia com establishment do Partido Democrata, a jovem de 27 anos – cuja família possui origens colombianas – derrotou um velho Senador sustentado pelo lobby especulativo. Compartilhamos neste Boletim as reações de nossos camaradas do DSA depois deste importante triunfo.

Trazemos ainda neste trabalho: um artigo de Bernardo Corrêa sobre hegemonia das finanças no mundo empresarial brasileiro; um chamado de Israel Dutra ao reforço no voto mais do que necessário no PSOL nas eleições que se aproximam; um texto de Tito Prado, explicando por que é insuficiente o referendo convocado por Vizcarra nos atuais moldes; um relato de Aurelio Robles sobre a crise política no Panamá; uma crônica de Alfons Bech sobre a massiva manifestação na Catalunha por ocasião do último Diada; um texto de Pedro Fuentes sobre os 45 anos do golpe de Pinochet no Chile; um artigo de Vania Alquicira explicando a luta dos universitários mexicanos contra grupos fascistoides que vêm ameaçando a juventude do país.

A todos os nossos leitores desejamos uma excelente leitura!

Secretaria de Redação do Portal da Esquerda em Movimento


Dossiê Nicarágua

 

A caravana de solidariedade à Nicarágua e a esquerda brasileira | Israel Dutra

Na manhã fria, pela via da rodoviária, em 30 de agosto, chegou em Porto Alegre a caravana de ativistas nicaraguenses, numa jornada pela região em para denunciar a repressão do regime de Daniel Ortega. Os três integrantes, todos muito jovens, apesar de cansados, exibiram sorrisos pela recepção calorosa por parte do comitê gaúcho em solidariedade à Nicarágua livre, encabeçado por nicaraguenses residentes no estado do Rio Grande do Sul, em parceria com movimentos sociais, setores da esquerda combativa e ativistas. Ao pisar em solo brasileiro, o grupo começava uma nova etapa da sua “gira”, que ainda teria conexões no Rio de Janeiro e São Paulo.

Ortega sequestrou o imaginário e os valores sandinistas da revolução popular de 1979| Ariana McGuire

Nós, enquanto caravana, somos cada um movimento diferente, porém ao mesmo tempo fazemos parte de uma grande articulação de movimentos sociais que é a maneira pela qual o povo nicaraguense está conseguindo se organizar. Nunca como agora diferentes setores sociais se uniram por uma só luta. Mulheres, feministas, grupos LGBT, estudantes, camponeses, afro-caribenhos, grupos indígenas, grupos sindicais, doutores, professoras, Igreja, empresa privada… ou melhor dito, com certos setores da iniciativa privada. Estamos todos juntos, praticando uma forma improvisada de democracia, onde os processos são horizontais, onde há a participação ativa da sociedade, onde há uma necessidade de se fazer escutar e de propor ideias.

Nossos protestos são criminalizados e nossas comunidades foram militarizadas” | Carolina Hernandez

Queremos democracia! Ao final o governo acabou por criar muitas leis que nos deixou vulneráveis. Estas transnacionais não fazem uma consulta prévia, não há estudos de impactos ambientais na Nicarágua. No ano passado, aprovou-se uma lei que isentava as transnacionais de fazerem estudos de impactos ambientais. E o dano ao meio ambiente é irreversível. Uma vez que essas empresas se instalam em nossos territórios, gastam a nossa água, além de contaminá-la, o que nos afeta bastante.

Os únicos que apoiam Ortega são governos de nostalgia stalinista| Dora Maria Tellez

Todos estão ameaçados na Nicarágua. Os 30 mil nicaraguenses no exílio são pessoas que saíram porque sentiram que sua vida estava em risco. Todos nós, que integramos a oposição contra Ortega, somos gravemente ameaçados por esta ditadura. Há muitos jornalistas e promotores de direitos humanos no exílio, por exemplo. No último 23 de agosto, o regime tentou tomar um canal de televisão privado para impor sua linha editorial. O dono do canal não permitiu e teve de se refugiar na embaixada de Honduras, porque está sendo perseguido simplesmente por não acatar a vontade do regime. Também o sacerdote da paróquia de Monimbó (bairro indígena da cidade de Masaya, bastião rebelde sob forte repressão de policiais e paramilitares nos últimos meses) teve de sair do país porque fora ameaçado de morte: colocaram uma pistola em sua boca e o agrediram fisicamente a ponto de fraturar suas costelas. Não há ninguém que esteja fora do âmbito da repressão. Estamos todos na mira.

Financeirização das empresas brasileiras

A hegemonia financeira no Brasil e o problema da dívida (Parte 1) | Bernardo Corrêa

Esta série de três artigos tem o objetivo de aprofundar um tema trazido pela companheira Luciana Genro em seu artigo O debate necessário na eleição presidencial [1] . Luciana alerta para o fato de que frente à sanha do capital financeiro por mais ajuste, nenhum dos candidatos dos partidos do regime irá mudar o pilar da política econômica de produção de superávit para pagar os serviços da dívida, principal mecanismo de captura das finanças sobre o Estado brasileiro

Vitória de Julia Salazar em NY

O movimento bateu a máquina | Portal da Esquerda em Movimento

Na noite da última quinta-feira foi conhecido o resultado das primárias do Distrito do Brooklin para o Senado de NY. Julia Salazar ganhou por uma ampla margem contra o candidato democrata do establishment. O movimento derrotou a máquina. Uma máquina que usou calúnias e falsos ataques e acusações contra o candidato do DSA. Agora o Brooklin DSA entra numa nova etapa de construção. Chegou às massas, pode formar nelas uma consciência socialista e fortalecer-se como organização dos trabalhadores e dos pobres. Desde Portal da Esquerda em Movimento queremos felicitar Julia e a todos os companheiros do DSA que fizeram possível esta vitória. É uma vitória do socialismo. Se cresce nos EUA, crescerá em todo o mundo!

Referendo sobre a corrupção no Peru

Haverá referendo, mas falta uma quinta pergunta | Tito Prado

O Fujimorismo não quer o referendo anti-corrupção proposto desde o Executivo pelo presidente Vizcarra como resposta à indignação cidadã que exige “Que se vayan todos!”. Keiko Fujimori, a líderança de Fuerza Popular que ainda conta com maioria no Congresso, diz que a reforma política e a reforma na justiça não são prioridades. Argumento que não corresponde à crise política agravada desde os áudios da vergonha que põem de manifesto o apodrecimento da justiça no Peru e a relação perversa entre juízes, políticos e empresários que colocam seus interesses mafiosos acima de tudo.

Crise política no Panamá

O descontentamento nacional e a crise política no Panamá | Aurelio Robles

A falta de moradia igualmente para os matrimônios jovens e o alto custo da vida vêm a completar o quadro de angústias e desespero que diariamente vive o povo. Dá tristeza ver uma grande quantidade de jovens nas áreas metropolitanas que se dedicam ao comércio ambulante, os chamados pavos do transporte informal, condutores de táxi, os cuidadores de carros, etc.

45 anos do golpe no Chile

A 45 anos do golpe do Pinochet no Chile | Pedro Fuentes

Estamos em um novo aniversário da triste derrota do processo chileno e o início da sangrenta ditadura do Pinochet no Chile. Quando se via vir a tragédia chilena na Argentina post-cordobazo fazíamos uma manifestação muito numerosa pedindo “armas para o Chile caralho”. É sozinho uma lembrança. Agora é um momento para refletir sobre uma das várias lições que deixa essa derrota: como se podia parar naquele momento à direita e o fascismo. Um tema que tem atualidade ante o avanço do totalitarismo e a direita protofascista no mundo e no Brasil.

Socialismo nos EUA

Raça, classe e estratégia socialista | Jeremy Gong e Eric Blanc

Marxistas há muito entendem que o local de trabalho é o principal local estratégico da luta de classes, e que a luta de classes é essencial para a convergência de uma maioria da classe trabalhadora radicalizada com a capacidade e vontade de derrubar o capitalismo em favor do socialismo. Ao mesmo tempo, marxistas reconhecem nossa responsabilidade moral de se opor – e a necessidade estratégica de combater – todas as formas de exploração e opressão.

Diada na Catalunha

Crônicas Catalãs – 11S: Um povo resistente e resiliente na luta por sua liberdade | Alfons Bech

Esta Diada voltou, pois, a demonstrar que a luta do povo catalão segue. Não era um suflê, como diziam os políticos do regime. Não está derrotada, como pretendiam decapitando os líderes e aplicando o 155. A consciência de haver cometido erros e de haver confiado ingenuamente em que a Europa pressionaria e o Estado espanhol cederia facilmente, está cedendo espaço a um amadurecimento. Mas a determinação segue intacta. Boa parte da Catalunha está disposta já a lutar até conseguir sua República. A próxima etapa de sua mobilização: a liberdade dos presos e presas.

Luta contra os grupos porriles no México

Por que lutam os estudantes no México? | Vania Alguquicira

Em 27 de agosto de 2018, a comunidade estudantil do Colégio de Ciências e Humanidades (CCH), campus Azcapotzalco -um dos 15 bacharelados da UNAM- decidiu mediante uma assembleia tomar as instalações e iniciar uma paralisação, decisão tomada por diversas problemáticas entre as quais destacam falta de professores, ataques impunes de grupos “porriles” e decisões autoritárias por parte da direção do colégio.

 

 

 

Uma nova página para apoiar e construir novas alternativas na América Latina e no mundo, defendendo o poder dos trabalhadores e do povo contra o 1% dos ricos e poderosos, e uma sociedade sem exploração.

Secretaria de redação

  • Pedro Fuentes
  • Bernardo Corrêa
  • Charles Rosa
  • Clara Baeder