Portal da Esquerda em Movimento Portal da Esquerda em Movimento Portal da Esquerda em Movimento

O descontentamento nacional e a crise política no Panamá

A situação política nacional atualmente atravessa por um crescente aumento do descontentamento popular, o qual encontra suas raízes em motivos de índole social, político e econômico, condição esta que se reflete por um constante aumento de reclamações, protestos e fechamento de ruas. As causas mais comuns são principalmente a falta de água potável, péssimas condições das escolas, razões de saúde, transporte e segurança entre outros.

Como se poderá observar são as mesmas causas que os atuais governantes e autoridades prometeram se fossem eleitas. Outras das causas leva uma importante cota de caráter econômico, que se manifesta principalmente num alto nível de desemprego na juventude e se traduz num constante aumento de delitos,  principalmente de furto e roubo, os que afetan gravemente a população dos setores populares e marginais.

A falta de moradia igualmente para os matrimônios jovens e o alto custo da vida vêm a completar o quadro de angústias e desespero que diariamente vive o povo. Dá tristeza ver uma grande quantidade de jovens nas áreas metropolitanas que se dedicam ao comércio ambulante, os chamados pavos do transporte informal, condutores de táxi, os cuidadores de carros, etc.

Este descontententamento que estamos descrevendo apesar de que o mesmo e por si mesmo não consegue converter-se num descontentamento político ou social de tal forma que não consegue ser canalizado ainda por algum dos setores políticos independentes dos partidos ou organizações da burguesia mas, ao mesmo tempo, não se inclina por outras propostas ou alternativas políticas com propostas diferentes, esta classe de descontentamento vem registrando um aumento progressivo na sociedade o qual começa a ter efêmeras manifestações políticas.

O acúmulo de lutas, assim como o nível de consciência atual das lutas das massas, a nosso modo de ver a atual situação, apesar da falta de tradição para passar do protesto social à consciência política, acreditamosque se criou um vazio político, que os partidos da burguesia deixaram, ao ter perdido a confiança política de uma boa parte dos setores operários e populares e de amplos setores das camadas médias da população. O contundente rechaço da população ao tarifaço do aumento de luz no mês de julho e o imediato recuo do governo de JUAN CARLOS VARELA, a evidente apatia que atualmente reflete a população em relação aos partidos políticos tradicionais, PRD, PANAMEÑISTA, CAMBIO DEMOCRÁTICO, e a pouca atenção prestada à abertura do calendário eleitoral das próximas eleições primárias dos partidos antes assinalados, como ficou demonstrado com a escassa participação nas primárias de CAMBIO DEMOCRÁTICO, celebradas em 12 de agosto passado, além disso, o último escândalo gerado pelas declarações da procuradora pela visita que lhe fez o magistrado presidente encarregado da Corte Suprema, pelo tema dos grampos no processo contra o ex-presidente, Ricardo Martinelli, são claros indícios do aumetno do descontentamento do povo panamenho, descontentamento que ainda não logra tornar-se um ascenso popular como vem ocorrendo no resto da América Central, tal é o caso da Guatemala, Honduras e Nicarágua.

Isso tudo encontra seu ponto mais alto de ebulição quando pelos distintos meios o povo se intera do latrocínio existente nas mais altas esferas do governo, como resultado do alto grau de corrupção e de impunidade que reina no país. Planilhas milionárias na Assembleia de Deputados, onde aparecem pessoas que não trabalham e se o fazem, recebem um salário que não corresponde ao ofício que desempenham, ministros e diretores nacionais de instituições de governos anteriores, processados por ter cometido delito de peculato por sobrecustos e desvios milionários em grandes projetos, todos estão livres com medidas cautelares, ninguém foi condenado, como se diz em bom panamenho, aqui não acontece nada.

As últimas marchas e protestos dos produtores agropecuários demonstram, sem sombra de dúvidas, o fracasso total e irremediável do modelo econômico, político e social estabelecido imediatamente depois da Invasão de 20 de Dezembro de !989.

EXPECTATIVAS: Entretanto, na esquerda e no movimento popular existem vários problemas colocados que é preciso superar, pois o movimento operário, hoje, se encontra altamente dividido em mais de 10 Centrais Operárias, além de uma considerável influência das igrejas evangélica e católicas, as quais promovem um alto nível de despolitização na população, como se fosse pouco, a nível das direções sindicais se vive a assimilação de uma parte delas às políticas do governo e da burguesia.

Finalmente a falta de uma política comúm que sirva de catalizador do descontentametno e em consequência possa aglutinar as massas na busca de objetivos comuns. Essas seriam algumas das tarefas mais importantes que lhe reste por resolver o movimento popular organizado com o propósito de ajudar ao povo panamenho na busca de verdadeiras saídas populares e democráticas.

Panamá, 22 de agosto de 2018.

Aurelio Robles

MOVIMIENTO ALTERNATIVA SOCIALISTA (MAS Panamá).

Uma nova página para apoiar e construir novas alternativas na América Latina e no mundo, defendendo o poder dos trabalhadores e do povo contra o 1% dos ricos e poderosos, e uma sociedade sem exploração.

Secretaria de redação

  • Pedro Fuentes
  • Bernardo Corrêa
  • Charles Rosa
  • Clara Baeder