Portal da Esquerda em Movimento Portal da Esquerda em Movimento Portal da Esquerda em Movimento

Washington D.C., Segunda-Feira, 1º de Junho

Estive hoje na Casa Branca em protesto pela quarta noite consecutiva. Eu estava lá por volta das 17:15-18:50, saindo antes do toque de recolher recém-imposto às 19h. Foi chocante. Já estive em muitos protestos, e muitos onde a polícia se tornou agressiva. Ainda não vi o que vi hoje.

Durante cerca de uma hora, estive perto do extremo nordeste do Parque Lafayette com um aglomerado de 50 a 100 manifestantes, honestamente bastante desanimado em seu canto. Éramos um pequeno destacamento da multidão principal de cerca de 1000 pessoas que estava mais centralmente alinhada com a Casa Branca. Havia uma barricada que a polícia tinha erguido, e um enorme, enorme número de policiais por trás dela, talvez 200, policiais de choque totalmente armados.

Não houve lançamento de garrafas de água (que tem sido o máximo de “violência” dos manifestantes durante esses protestos), nem mesmo cantos ou provocações particularmente agressivos. De repente, os policiais começaram a passar por cima de sua própria barricada, e aos poucos avançaram em direção às pessoas, formando uma nova linha. no processo, eles bateram violentamente em dois homens brancos de 30-40 anos, que começaram a sangrar profusamente, e atingiram um homem mais jovem.

A grande multidão começou a vir em nossa direção, mas a polícia tomou um cruzamento e manteve uma linha. Atrás da barricada, centenas e centenas a mais de policiais, com equipamentos completos e policiais montados, começaram a se apressar, ao ponto de talvez 500 deles estarem atrás da barricada. Então a polícia nos acusou, batendo, pisoteando, atirando balas de borracha ou spray de pimenta, atingindo pessoas, jogando gás lacrimogêneo, bombas de efeito moral. Pessoas correndo muito, mãos no ar. Era extremamente militar.

Os manifestantes se reagrupavam aqui e ali, mas as bombas e o gás lacrimogêneo não parava. Um manifestante perguntou a um policial de DC como fazer uma reclamação e o policial disse “de que agência eram eles?” Foi surreal. Havia crianças. Tudo isso muito antes do toque de recolher. Claramente, havia alguns da esquerda, muitos jovens de cor que não pareciam politicamente afiliados, alguns organizadores da justiça racial, alguns sacerdotes ajudando diretamente com água, e muitos liberais. Espero que todos esses jovens tenham sido radicalizados pela experiência. Agora há drones e helicópteros voando baixo (tipo, a 100 pés do chão), manifestantes sendo assediados em vários lugares, e manifestantes quebrando janelas no Marble Palace (isso é indiscriminado, mas é claro que interessante e relevante). Você já viu o resto. Os militares estão ocupando D.C., as pessoas estão pedindo a demissão do prefeito e dos membros do conselho.

(J. é militante do DSA Metro D.C. e do caucus Bread & Roses do DSA)

Uma nova página para apoiar e construir novas alternativas na América Latina e no mundo, defendendo o poder dos trabalhadores e do povo contra o 1% dos ricos e poderosos, e uma sociedade sem exploração.

Secretaria de redação

  • Pedro Fuentes
  • Bernardo Corrêa
  • Charles Rosa
  • Clara Baeder